Enslaved: Banda retorna ás origens e toca clássicos do álbum “Frost”

Os norueguêses do Enslaved retornam ao Brasil e trazem em sua mala músicas do recente álbum “E” e grandes clássicos do passado

Texto: Marcos Franke

Fotos: Edi Fortini

Antes de falarmos de Enslaved, preciso admitir que fiquei bastante surpreso com a banda de abertura escolhida – a banda paulista Basalt. Com influências fortes do doom, sludge, crust, pós-metal, grind e experimental, o quinteto trouxe algo á mais para o palco do Carioca Club. Com seu álbum O Escuro Coração da Terra, Basalt fez um grande show. A sonoridade lembra muito bandas mais atuais do black metal como Deafheaven por exemplo. Vocais alterados, guitarras arrastadas e uma cozinha ainda mais devagar para acompanhar, a banda Basalt conseguiu transferir um peso absurdo com suas melodias melancólicas e cheias de dor. A escuridão estava ali, no centro do palco do Carioca Club. Simplesmente arrebatador.

A noite no entanto foi dos norueguêses do Enslaved. Divulgando seu mais recente álbum “E”, o grupo não se concentrou muito em tocar músicas de seu álbum mais recente, lançado aqui no Brasil pela Shinigami Records/Nuclear Blast. O grupo basicamente nos levou numa viagem que percorreu sua discografia inteira. Começando pelo grande clássico ‘Ethica Odini’ do álbum Axioma Ethica Odini (2010) – uma das obras primas da banda seguida por Roots of the Mountain, do poderoso e progressivo RIITIIR (2012), um dos álbuns mais diferentes de sua discografia. Formado pelos músicos Ivar Bjornson (guitarra,teclado), Grutle Kjellson (vocais,baixo), Arve Isdal (guitarra), Hakon Vinje (teclado,vocais) e Iver Sandoy (bateria), o Enslaved passou também pelo álbum Ruun (2006) escolhendo a música que deu nome ao álbum – que incrível melodia esta música possui.

Mas o público surtou mesmo quando a banda voltou ao ano de 1994, exatamente ao álbum Frost (1994) com a quadrupla mortal Loke/Fenris/Gylfaginning/Isoders Dronning. Que absurda evolução a fase atual do Enslaved possui. Esta música mostra uma versão muito mais extrema da banda, mais voltada ao Black Metal. O público presente simplesmente surtou. Não havia uma cabeça sequer parada. A qualidade sonora do Enslaved se vê até nas músicas mais antigas, trazendo riffs característicos que ajudariam a formar a sonoridade da banda hoje em dia.

O quinteto ainda tocou Havenless, clássico do álbum Below the Lights (2003) que demonstra a grande influência dos cânticos antigos dos Vikings em sua música. O mais legal foi o público cantar junto com a banda a música inteira!

A banda ainda voltou para tocar os grandes clássicos Isa e Allfodr Odinn, deixando assim os fãs com aquele gostinho de quero mais. Que grande noite esta com o Enslaved! Parabéns a Overload em continuar trazendo as grandes bandas, como o Enslaved ao Brasil!

SETLIST:

Ethica Odini
Roots of the Mountain
Ruun
The River’s Mouth
Loke
Fenris
Gylfaginning
Isöders dronning
Havenless
Sacred Horse
Isa
Allf
ǫðr Oðinn

%d blogueiros gostam disto: