Haken: Testemunhamos a perfeição ao vivo

Ingleses do Haken vieram ao Brasil mostrar que se pode fazer perfeccionismo sem ser piegas, mostrando-se candidato sério a show do ano.

Texto: Marcos Franke

Fotos: Edi Fortini

A Overload mais uma vez nos proporciona com os melhores shows que temos no mercado. O show dos ingleses do Haken foi um deles. Em plena turnê divulgando seu mais recente trabalho Vektor, o Haken foi muito criticado por ter tomado um novo caminho em suas composições. Tornando-se claramente mais pesado, o Haken navega hoje por águas perigosas, explorando terrenos nunca antes explorados.

O show na Fabrique mostraria um pouco se a banda é realmente esta que agora explora novos mares ou realmente ainda é aquela banda que lançou clássicos instantâneos como Mountain e Affinity – muito bem recebidos pela crítica e pelo público.

O que testemunhei nesta noite foi pura perfeição e muito, mas muito ensaio. A banda iniciou seu show com a melhor música do álbum Vektor – The Good Doctor. Música em que se pode ouvir absolutamente tudo na banda, inclusive o impressionante trabalho de cozinha feito pelo baixista Conner Green e o excelente baterista Ray Hearne. O que mais achei. O mais estranho foi ouvir as mesmas imperfeições do álbum Vektor, ao vivo com a música Puzzle Box – alinha do baixo estava exatamente na mesma linha do baterista e Green mal pode ser ouvido. Achei que isto seria muito diferente ao vivo, mas não foi. Foi fielmente igual ao álbum.

Com Falling Back to Earth, Haken pisa em terreno seguro ao tocar um grande clássico do álbum Mountain – a linda combinações de vozes e a grande combinações de notas do sintetizador de Diego Tejeda abrilhantam e muito cada momento que testemunhamos ao vivo. Cockroach King segue a mesma linha com a grande interpretação de Ross Jennings no vocal – que vocalista incrível!

O grande trabalho em conjunto dos guitarristas Richard Henshall e Charles Griffiths fazem o difícil parecer fácil – um grande feito para uma banda. Mas um dos momento mais pesados da dupla ficou para Nil by Mouth – uma apoteótica viagem ao prog metal! Destaque para o tecladista Diego Tejeda, que faz com que texturas nunca antes imaginadas ganhem vida em cima do palco. A interação com o público não podia ser melhor quando Diego sacou seu teclado/guitarra para fazer uma graça em frente ao público enlouquecido!

O sentimento dos anos 80 volta com 1985, em que até as texturas do som remete á época! Parece até abertura de seriado dos anos 80! A homenagem de Ross, usando um tradicional óculos que brilha no escuro da época, demonstra a preocupação da banda em querer transportar o fã para a época. O tradicional estilo do Haken, mais uma vez presente e que se tornou uma fase incrível para os músicos. A grande habilidade de Ray Hearne com os samplers, alivia e muito o trabalho de Diego no sintetizador! O trabalho de voz em Veil mostra a importância de todos os músicos terem uma noção vocal, que aula de harmonia!

Claro que a banda não esqueceu The Architect, música do incrível Affinity e uma das mais esperadas da noite! Que trampo absurdo ensaiar esta música! A sintonia que uma banda precisa atingir para criar uma música assim, é simplesmente de explodir a mente.

A banda sai para um breve intervalo e retorna dizendo que demorou tempo demais para vir ao Brasil, prometendo retornar em breve. Foi assim que Ross introduziu Crystallised, do álbum Restoration, um verdadeiro épico de 20 minutos. Claramente inspirado em Dream Theater, a música traz algo a mais – texturas e notas musicais, todas elas trazidas á vida no palco do Fabrique! Que experiência absurda! Orquestra que se mistura aos riffs de guitarra e á fantástica harmonia do sintetizador. A banda termina seu show com a música Celestial Elixir, um verdadeiro tributo de 20 minutos de música para os fãs. Flautas, harpas e acordeões se misturam ao peso das guitarras e ao ritmo muito bem dado á uma das músicas mais criativas da noite. A interpretação vocal de Ross fazem desta uma das músicas mais emocionantes da noite. Que vocal absurdamente afinado!

Haken veio ao Brasil pela primeira vez, mas duvido muito que seja a última. Pela impressão que ficou, a banda não somente já é um dos maiores expoentes do metal progressivo por aqui, como certamente andará de mãos dadas á grandes bandas do estilo como Dream Theater e terá uma base de fãs no Brasil no mesmo nível. Este show valeu cada centavo e certamente estará na minha lista de shows do ano!

Set-List Haken

The Good Doctor
Puzzle Box
Falling Back to Earth
Cockroach King
Nil by Mouth
1985
Veil
The Architect
Crystallised
Celestial Elixir

%d blogueiros gostam disto: