Pioneiros do post-hardcore, Quicksand faz dois shows inéditos no Brasil em junho

O que é, afinal, o post-hardcore – ou rock alternativo – do Quicksand, o power-trio norte americano com um integrante (Sergio Vega) docultuado Deftones e outro (Walter Schreifels) que é nada menos que uma lenda da música alternativa por ter formado bandas como Gorilla Biscuits, Youth of Today e Rival Schools, que chega pela primeira vez ao Brasil no início de junho para shows em São Paulo (2/6) e Rio de Janeiro (3/6)?

O estilo foi moldado lá na década de 1990 e o Quicksand participou do processo de construção de uma sonoridade que é ligada a nomes como Circa Survive, Thursday, Glassjaw e ao seminal Fugazi, este que começou tudo de verdade em meados dos 80.

Acordes reverberantes, uma música com foco nas guitarras secas e distorcidas, quase sempre com linhas de baixo e bateria intensas o bastante para manter a energia num astral pontual, seja para agitar ou cantar junto. Longe de ser uma definição absoluta do post-hardcore, ao menos aproxima – em palavras – o que o Quicksand se dedica a fazer.

Dos três álbuns lançados, dois são do início dos anos 90 – Slip e Manic Compression – que resistem ao tempo e não raramente apontados como clássicos do rock noventista. Longe de ser exagero. À época do lançamento do debut Slip, em 1993, a BBC escreveu: “uma master class de 40 minutos de um perfeito post-hardcore. A AllMusic foi mais específica: “a música do Quicksand contém uma poderosa ira e emana persistência”.

Maniac Compression, em 2001, foi apontado como “à frente do seu tempo” em resenha no site Punk News pelos afiados riffs que nunca aliviam, mencionando a força que tem para agradar fãs de rock, metal ou emo.  É claramente mais pesado e agressivo.

O hiato de anos, as experiências individuais em outras bandas e a volta em 2013 culminaram no maduro Interiors, de 2017, que funciona como uma síntese do início de carreira junto a um aceno ao futuro. Aqui o post-hardcore ganha melodia, mas mantém a mesma carga emotiva nas composições, o transformando num álbum único do estilo.

A TURNÊ – No show em São Paulo, dia 2 de junho a partir das 18 horas no Fabrique Club, o show do Quicksand terá a abertura do Eu Serei a Hiena, que oficializam o retorno aos palcos exatamente neste dia. Já no dia seguinte, 3/6, o Quicksand no Rio de Janeiro terá a participação do menores atos, m dos principais nomes da nova safra do rock carioca, que se firmou de vez com o espetacular álbum ‘animalia’ (2014) e prestes a lançar disco novo.

downloadAttachment&Message%5Buid%5D=30872&Message%5Benvelope%5D%5Bmessage-id%5D=%253CCAFYMJJjJYSS4G2vf-Vw7J-xAhNhKYYQL590JmgG8FaM3Zc8tYA%2540mail.gmail.com%253E&Message%5BmailBox%5D%5Bmailbox_id%5D=INBOX&MessageAttachment%5B%5D%5Battachment_id%5D=%3CCAFYMJJjJYSS4G2vf-Vw7J-xAhNhKYYQL590JmgG8FaM3Zc8tYA%40mail.gmail.com%3E-1.1.4

%d blogueiros gostam disto: