Living Colour: O verdadeiro funk ainda respira!

São Paulo foi atropelado pelo funk vibrante do Living Colour, que com seu elemento principal, o Hard Rock, fez o Tropical Butantã dançar!

Por Marcos Franke

Fotos Flavio Santiago (www.onstage.mus.br)

Sempre impressionante ver os estadunidenses do Living Colour se apresentando ao vivo. Mestres de seus instrumentos, a banda não só mostrou grande habilidade de compôr músicas novas, como aquelas que se destacam no álbum Shade, lançado este ano (2018), como também ao interpretar seus grandes clássicos. Vernon Reid (guitarra), Doug Wimbish (baixo), Corey Glover (voz) e Will Calhoun (bateria) são definitivamente grandes mestres da música e demonstraram isto interpretando com incrível maestria músicas novas como a bluseira Preachin’ Blues e a dançante e funkeada Freedom of Expression (F.O.X.) – detalhe para a fantástica linha de baixo para uma das músicas mais incríveis deste novo petardo da banda – Shade – ainda inédito no Brasil .

Claro que Vernon Reid deixou a sua marca com a grandiosa ‘Middle Man’, que demonstra a grande capacidade de criar riffs do músico. Mas foi em ‘Desperate People’ que a casa veio abaixo – não só pela qualidade incrível da música, mas pelo ineditismo de terem escolhido esta faixa do incrivel Vivid (1988). A voz de Corey Glover parece não envelhecer nunca, fazendo a escolha desta canção a certa para aquecer o público! Apesar de um pouco desconhecida, as pessoas agitavam e curtiam muito esta, que é um dos grandes clássicos da banda, dos anos 80. Os fãs também celebraram muito a escolha de Funny Vibe para o repertório do show. Foi uma das músicas mais interessantes, por mostrar muito bem esta facilidade de comunicação entre Wimbish, Reid, Calhoun, um dos núcleos mais criativos do Hard Rock dos anos 80. O cover para o clássico do Talking Heads, Memories Can’t Wait, veio logo em seguida para dar uma refrescada no clima dançante do show. Mas o que realmente agitou o público foi o cover para o clássico do Notorious BIG, Who Shot Ya!, que fez todos cantarem junto com Corey Glover, que dava um show de interpretação.

A casa no entanto ficou pequena para o grandes clássicos como Glamour Boys, Type e Cult of Personality, músicas que fizeram o público cantar e dançar! Detalhe para os solos dos instrumentistas em especial de Doug Wimbish, um dos baixistas mais incríveis de todos os tempos. Este executou a música ‘Swirl’, de seu álbum solo CinemaSonic. Se você que não conhece a discografia da carreira solo deste incrível baixista, corra atrás – ela é simplesmente imperdível. Um show incrível de uma das bandas mais representativas dos anos 80, responsável pela primeira e grande mudança do Hard Rock.

Agradecimentos a Rádio Corsário, Ultimate Music pelo credenciamento.

%d blogueiros gostam disto: