Epica faz show inesquecível em São Paulo

CULTURA: SÃO PAULO,SP, 10.03.2017 - EPICA - TROPICAL BUTANTA - Epica durante apresentação na Tropical Butanta, na zona sul em São Paulo/SP, neste sabado, 10. (Foto: Flavio Hopp / RAW Image)

Epica faz show envolvente em São Paulo e faz uma de suas melhores apresentações em terras tupiniquins

Por Marcos Franke

Fotos: Flávio Hopp

O Tropical Butantã recebeu neste último sábado (09/03) um dos maiores expoentes do metal sinfônico de atualidade. O mais interessante é que a banda está “apenas” divulgando o EP The Solace System, lançado em 2017 pela Nuclear Blast e mesmo assim a casa estava absolutamente lotada. O EP, que mais é quase um álbum, mostra a grande preocupação da banda de entregar não somente música de alta qualidade, como um show no mesmo nível. Sempre muito solícitos, ainda atenderam fãs que pagaram por meet and greet, especialmente para vê-los. Capitaneada por Mark Jansen (guitarra, voz gutural) a banda ainda tem como integrantes a excepcional vocalista Simone Simons, Coen Janssen (tecladista), Ariën van Weesenbeeck (bateria), Isaac Delahaye (guitarra) e Rob van der Loo (baixo).

A grande habilidade vocal de Simone Simons em acertar todas as notas de suas músicas mostra a grande preocupação com o treino e técnica vocal. Músicas como ‘Sensorium’, um grande clássico do início de sua carreira no Epica, retirada do álbum The Phantom Agony, demonstra que sua voz continua irretocável e em alguns momentos até melhor. Não posso deixar de contar a grande performance de  Coen Janssen – um dos tecladista mais simpáticos que já vi se apresentando no palco. Incansável, o músico não apenas se satisfazia em tocar seu instrumento, mas corria pelo palco com um teclado portátil, interagia com o público, dançava, cantava com a vocalista e pedia com que o público fizesse um ‘mosh’. Isso mesmo. Vocês não leram errado. Em um dado momento do show, o público se rendeu um pouco ao pedido do músico, abrindo uma roda, mesmo que Simone tenha pedido um verdadeiro muro da morte – tradicional momento de interatividade entre público e uma banda de thrash metal.

Mark Jansen deu seu show particular, mesmo enfrentando alguns problemas técnicos e proporcionou riffs muito bem executados junto com seu braço direito Isaac Delahaye, que contentes compartilhavam inúmeros momentos juntos como em ‘Storm the Sorrow’ (Requiem For The Indifferent/2012)- um dos momentos mais comemorados pelo público. O ápice do show para mim foi a execução da majestosa ‘The Holographic Principle’ – um dos momentos em que a banda deu tudo o que ela poderia dar em cima do palco – até o tímido Rob van der Loo mostrou seus dons de interação com o público, mesmo sendo um grande desafio manter a cozinha juntamente com Ariën van Weesenbeeck em pura sintonia. Quanto ensaio! A banda não deixou o palco antes de tocar seu grande clássico ‘Cry for the Moon’ e a emocionante ‘Once Upon a Nightmare’ – esta última foi iluminada por celulares pelos fãs a pedido de Simone Simons! Que incrível idéia. A banda voltou para o bis com a inacreditável bem tocada ‘Sancta Terra’ seguida pela irresistível ‘Beyond Matrix’. A banda se despediu do público com um grande clássico – a impactante ‘Consign to Oblivion’.

Que grande show dos holandeses em São Paulo. Demonstra mais uma vez que dedicação, esforço e muito amor também são elementos chave para construir uma banda com um repertório tão incrível quanto ao deste sexteto. Apaixonante.

 

SETLIST

Eidola

Edge of the Blade

Sensorium

Fight Your Demons

Unleashed

Chasing the Dragon

Storm the Sorrow

The Holographic Principle

Victims of Contingency

Unchain Utopia

Cry for the Moon

Once Upon a Nightmare


Sancta Terra

Beyond the Matrix

Consign to Oblivion

 

%d blogueiros gostam disto: