Rhapsody: O público se despediu de uma Lenda do Metal Melódico

A banda capitaneada por Luca Turilli se despediu do público paulista com show inesquecível e setlist inédito

A banda de abertura Soulspell é uma das bandas brasileiras mais injustiçadas de nosso Underground. Com um álbum novo chamado The Second Big Bang (2017), a banda liderada por Heleno Vale voltou á cena com tudo. O show desta noite comprovou que estão mais afinados e ensaiados do que nunca. Dinâmico, o show da Soulspell tem informação até demais para aqueles que nunca ouviram a banda antes com o grande número de músicos no palco. Destaque sempre para a grande variedade de competentes vocalistas que compõe a banda como Pedro Campos, Daísa Munhoz, Talita Quintano e Victor Emeka. O grupo tocou músicas de seu mais novo álbum, como também prestou uma homenagem ao vocalista Mario Linhares (Dark Avenger) que faleceu no final de 2017 com a música ‘Age of Silence’ – impossível não se emocionar. A banda encerrou seu show com ‘A Secret Compartment’ deixando espaço para a grande estrela da noite – o Rhapsody.

O Rhapsody que se apresentou no Tom Brasil era formado por Fabio Lione (vocais), Luca Turilli (guitarra), Dominique Leurquin (guitarra), Patrice Guers (baixo) e Alex Holzwarth (bateria). Alex Staropoli, tecladista e um dos membros originais da banda, ficou de fora desta formação que se despediu dos palcos. Todas as melodias de teclados e trechos orquestrados foram computadorizados para esta apresentação.

Com um início devastador com a faixa Dawn of Victory, a banda já demonstrou que não estava lá para rodeios. Era a oportunidade para ouvir os grandes clássicos da banda ao vivo. Assim se sucedeu a noite com grandes odes como ‘Wisdom of the Kings’ e ‘Power of the Dragonflame’, que foram muito festejadas pelos fãs que estavam presentes e cantadas em uníssono. O momentos de performance solo que na minha opinião foi o grande destaque da noite foi o tributo que Fabio Lione fez ao clássico Time to Say Goodbye de Andrea Bocelli. Performances épicas de Luca Turilli e seu instrumento de cinco cordas também foram aclamados pelo público, especialmente em ‘Symphony of the Enchanted Lands’ – um dos grandes épicos da noite e também momentos em que Patrice e Dominique foram altamente aclamados pelos seus colegas e público.

Claro que as performance de Alex Holzwarth nas baquetas não poderia ficar de fora – um dos grande bateristas da atualidade mostrou que não tem medo de colocar uma música rápida atrás da outra como na dobradinha ‘Beyond the Gates of Infinity’ e ‘Knightrider of Doom’. Um dos momentos mais estranhos da noite foi a interpretação incrível para a balada ‘Wings of Destiny’ sem um tecladista no palco – na minha opinião um dos momentos mais emocionantes da noite.

A banda não deixou de fora músicas como ‘Lamento Heróico’, ‘Rain of a Thousand Flames’ e o clássico que finalizou o show – ‘Emerald Sword’, recebido como hino pelo público presente no momento do BIS. A banda encerrou o show ás 22:00hrs sendo assim ovacionada pelo público presente. Que grande início de ano para a grande maratona de shows que nos aguarda 2018. Agradecemos a Top Link e ao Tom Brasil pelo credenciamento e atenção dadas a este que vos escreve.

 

SETLIST Rhapsody

Dawn of Victory

Wisdom of the Kings

The Village of Dwarves

Power of the Dragonflame

Beyond the Gates of Infinity

Knightrider of Doom

Wings of Destiny

When Demons Awake

Riding the Winds of Eternity

Symphony of Enchanted Lands

Solo de Bateria de Alex Holzwarth

Land of Immortals

The Wizard’s Last Rhymes

Solo de baixo de Patrice Guers

Solo Vocal de Fabio Lione

Holy Thunderforce

BIS

Rain of a Thousand Flames

Lamento Eroico

Emerald Sword

 

SETLIST Soulspell

The Entrance / The Labyrinth Of Truths

The End You’ll Only Know at the End

Troy

Into the Arc of Time (Haamiah’s Fall)

Age of Silence (Homenagem a Mário Linhares)

Father and Son

Dungeons and Dragons

Adrift

Time To Set You Free / The Second Big Bang

A Secret Compartment

%d blogueiros gostam disto: