Kalevala: Superando barreiras culturais

Alexey (acordeão), Kseniya (vocal), Mikhail (Baixo) e Denis (bateria) - Foto: Carlos Pupo

A banda Kalevala realmente deixou uma ótima impressão com sua apresentação no Dark Dimensions Folk Festival, que passou em São Paulo e Curitiba no Brasil em 2017. Formada por Kseniya (vocais, letras), Nikita (guitarra, música), Denis (bateria), Alexey (acordeão) e Mikhail Kron (baixo), a banda supera constantemente obstáculos para se manter no Mundo da música. Barreiras culturais e de linguagem fizeram esta entrevista ser ainda mais desafiadora pois os músicos tem uma grande dificuldade com a língua inglêsa. Com o grande esforço entre este que vos escreve e da banda, conseguimos fazer esta entrevista, demonstrando a grande força de vontade em querer se comunicar com os brasileiros. Com vocês um pouco mais do Kalevala, a pequena/grande banda vinda da Rússia!

Por Marcos Franke

Fotos: Carlos Pupo

Foi incrível ver vocês no palco no Dark Dimensions Folk Festival. Como foi o sentimento de finalmente estar no palco?

Kalevala: Nós estávamos um pouco nervosos antes de tocar a primeira nota. Entretanto, toda vez que ouvimos que tudo funciona e está soando legal e vemos um público tão grande, ficamos empolgados e tocamos com prazer. O local do show também foi bem legal – gostamos muito do palco grande e confortável do Carioca Club.

Kron: Tenho que admitir, no entanto que tivemos um pequeno desconforto, mas foi meu primeiro show com o Kalevala. Fiquei muito satisfeito.

Vocês tiveram problemas com seus instrumentos no momento de verificar as bagagens no aeroporto. Vocês ficaram ainda mais nervosos sobre este show, não?

Kalevala: Sim, até o último momento esperamos os nossos instrumentos (baixo e ximbau) e disseram que chegariam até o fim do show. Infelizmente eles não chegaram. Ficamos aliviados com o fantástico apoio da banda Elvenking no show em São Paulo, que nos emprestou os instrumentos deles.

Kron: No meu caso eu me sinto muito mais seguro tocando o meu instrumento. Sou um novo membro da banda e todas as músicas eram novas para mim. Desta vez tive que usar um instrumento de quatro cordas que não me era familiar, mesmo acostumado a tocar com um de cinco cordas.

Pelo menos os produtos que vocês trouxeram para vender no show chegaram bem e os fãs tiveram a oportunidade de assinar seu material. Vocês sempre fazem este tipo de interação após shows?

Kalevala: Sim, é uma tradição da banda. Gostamos muito de nos comunicar com fãs após shows e assinar CD´s e tirar fotos.

Kalevala tem dois membros novos, Kron no baixo e Alexey no acordeão. Conte-me um pouco a respeito deles. Como eles entraram na banda?

Kron: Eu conheço eles há algum tempo e eles são bons amigos. Um dia Kseniya me escreveu se eu conhecia um baixista para a banda dela. Minha resposta foi “Claro, eu mesmo!” E logo ela perguntou se eu queria tentar. “Sim, claro!” – esta foi minha resposta (risos)

Alexey: Eu comecei a tocar na banda há dois anos atrás. Eu achei uma vaga em um dos fórums de música e nunca havido trocado idéia com os membros do Kalevala antes e nem sabia nada sobre a banda a princípio. Mais tarde vi que tínhamos muitos amigos em comum na música. Eu estudei bayan (acordeão russo de botões) na escola de música no final dos anos 90. Logo depois me tornei guitarrista, mas todos os anos eu pressenti que eu poderia me juntar a uma banda de rock como um tocador de acordeão. Uma banda de folk metal foi uma ótima escolha pra mim.

Kron tem uma outra banda e ele trouxe material desta banda para vender no Festival. Ele poderia contar um pouco sobre este projeto?

Kron: Intra Spelaeum é uma banda de death doom com letras russas. Eu sou o fundador, o compositor, cantor e guitarrista. Intra Spelaeum começou em 2011 e temos até agora dois álbuns, um EP, um vídeo oficial e alguns singles que foram lançados digitalmente. Eu me inspiro com a música que sempre foi uma grande influência em minha vida artística: Tiamat, Draconian, Paradise Lost, Saturnus, Septicflesh. Eu espero que este ano possamos lançar um novo álbum.

O público reagiu conformo suas expectativas no show?

Kalevala: Eu espero que sim (risos). Acho que o pessoal curtiu nossa performance. A reação do público foi simplesmente incrível!

Como foi conhecer o público pessoalmente após o show?

Kalevala: Isto foi mais incrível do que se pode descrever! Não sabemos nem como expressar isto! Conversamos com tantas pessoas do outro lado do Mundo. Esperamos poder repetir isto em algum momento no futuro. Muitas pessoas falaram palavras tão calorosas para nós após o show e algumas nem sabiam de nossa existência e ao verem a gente ao vivo, amaram a banda! Ficamos muito felizes.

É meio que surpreendente que sendo uma banda que toca música tradicional da Rússia, o nome de vocês na verdade é de um poema finlandês, não? Por que Kalevala?

Kseniya: Kalevala é um nome vívido e memorável que emfatiza nosso pertencer ao estlo folk metal. “Kalevala” é um épico antigo finlandês e a palavra contém energia muito poderosa e mística – energia do território nórdico, onde todos os eventos épicos famosos aconteceram. Eu sou uma grande fã de romances do ártico e do norte da Europa e tentamos nos conectar ás letras do Norte com uma pegada atual do heavy metal, como o folk metal. Em álbuns mais recentes, uma música em cada álbum, tentamos usar textos deste épico “Kalevala” – um delas está gravada no nosso segundo clipe para a faixa ‘Lutchshuyu Spoyu Vam Pesnu’ («Лучшую спою вам песню»).

Aliás, qual é o nome do instrumento que pode ser ouvido em “Tausen-Rada”? Eu não consigo identificar!

Kelavala: Simples – são teclados!

Quais bandas inspiram vocês? Vocês tem uma inspiração extra musical ao compôr músicas? Sei que alguns de vocês são fãs de Sepultura, não?

Kalevala: Cada um de nós é fã de uma banda. Entretanto Kalevala é inspirado por diversos tipos de bandas de metal e folclóricas. Além disse, viver na Rússia é uma grande inspiração para nós.

Kron: Sim, eu amo o “Roots” do Sepultura. Eu até diria que é música folclórica, de alguma forma. Até groove/folk (risos).

Alexey: Eu sou um grande fã do Sepultura e do Cavalera Conspiracy. Eu fui nos mais famosos shows deles em Moscow nestes últimos dez anos. Além disso eu e Kseniya comparecemos ao show dos 30 anos Sepultura em Moscou em Março/2015 mas não nos conhecíamos na época. Nós amamos tanto aquele show, mas nos mantemos fãs da formação original da banda e dos álbuns clássicos.

E as letras da banda? Sobre o que elas falam, já que tudo está em russo?

Kseniya: Cantamos sobre a vida e como os antigos contadores de história, contamos sobre acontecimentos épicos em cada música. Eu amo o estilo narrativo nas letras e mesmo escolhendo usar títulos de músicas para os nosso álbuns, enfatizamos selecionar músicas com dramas domésticos complicados.

Kalevala: As letras da banda são baseadas em experiências pessoais da Kseniya, de sua atitude, que ela revela na música usando imagens da natureza, vida e ás vezes nós nos voltamos aos clássicos (Borodin A. – «Uletay na Kryljakh Vetra», A. Akhmatova “Pastushok”, N. Rubtsov – “Nagryanuli”). É frequente processarmos músicas do folclore russo também (“Ty zh mene pidmanula”, “Dokhu Ya Kupila”, “Batka-ataman”, “Ne otday menya, mat”).

Como é o processo de composição de vocês?

Kalevala: Basicamente, Nikita escreve as músicas e depois Kseniya faz os textos e as canções depois são arranjadas pela banda toda nos ensaios. Ás vezes Kseniya aparece com algumas músicas já prontas com texto e música.

Vocês estão preparando material para um novo álbum?

Kalevala: Acabamos de lançar nosso novo álbum “Metel” (N.E.: “Nevasca”, na tradução livre do russo) no final de Outubro 2017. Atualmente planjeamos fazer nosso primeiro DVD com um show de dez anos de aniversário, que foi filmado no dia 11 de Novembro, apenas uma semana antes de partirmos para o Brasil. Será lançado em 2018.

Muito obrigado por esta entrevista e deixe uma mensagem aos fãs e leitores do site.

Kalevala: Caros amigos! Queríamos agradecer aos nosso fãs no Brasil. Obrigado a todas as pessoas que nos apoiaram nestes dois shows no Brasil. Foi uma experiência incrível e um prazer imenso. Amem o metal, uns aos outros e sejam felizes! E sempre seremos felizes em termos em sua playlist um lugar para uma banda pequena chamada “Kalevala”! Nos veremos logo!

DARK DIMENSIONS FOLK FESTIVAL 2017

Kseniya (vocais), Denis (bateria) – Foto: Carlos Pupo

DARK DIMENSIONS FOLK FESTIVAL 2017

Alexey (acordeão), Kseniya (vocal), Mikhail (Baixo) e Denis (bateria) – Foto: Carlos Pupo

DARK DIMENSIONS FOLK FESTIVAL 2017

Nikita (guitarra), Alexey (acordeão) e Kseniya (vocal) – Foto: Carlos Pupo

DARK DIMENSIONS FOLK FESTIVAL 2017

Mikhail Kron (baixo) – Foto: Carlos Pupo

DARK DIMENSIONS FOLK FESTIVAL 2017

Nikita (guitarra), Alexey (acordeão) e Kseniya (vocal) – Foto: Carlos Pupo

DARK DIMENSIONS FOLK FESTIVAL 2017

Nikita (guitarra) – Foto: Carlos Pupo

%d blogueiros gostam disto: