Basement: Em Busca da Longevidade Musical.

Um dos grandes destaques da imprensa musical inglesa do ano passado foi o retorno do Basement com o álbum Promise Everything (2016). Com um álbum novo uma turnê para o álbum foi marcada e esta passará em solo brasileiro. Conversamos com Alex Henery, guitarrista da banda, para falar sobre a expectativa dos músicos para os shows no Brasil e de quebra também falamos sobre música, rock e o amadurecimento da banda – que constantemente busca pelo segredo da longevidade musical.

Por Marcos Franke

Basement-Andrew

Rock N Louder – Vocês se separaram por motivos que se resumiam por “diversos compromissos pessoais”. Um deles foi Andrew (N.R.: Andrew Fisher (vocais)) se tornar um professor diplomado. Vocês conseguiram resolver todos eles?

Alex Henery – Para mim pessoalmente eles foram todos resolvidos positivamente. Eu me mudei para a América e comecei a trabalhar para a gravadora Run for Cover e me encarreguei de todos os projetos criativos, basicamente fazendo vídeos musicais e trabalhando com conteúdo online. Foi o primeiro trabalho que eu tive que realmente amei e me deu a oportunidade de trabalhar livre criativamente. Eu sinto falta em trabalhar com isto o dia inteiro.

Rock N Louder – O EP Further Sky se materializou antes da separação?

Alex Henery – Não. Apenas escrevemos as músicas enquanto a banda estava no hiato. Nós nos encontramos durante o Natal e apenas decidimos tocar num local que tinha espaço para praticar. Isto desencadeou uma fagulha em todos nós, nos lembrando de que amamos a música e adoramos compôr juntos. Foi bom nos juntar novamente com novo material, apenas para reforçar que não apenas voltamos para a banda para fazer dinheiro rápido, mas por que amamos ser criativos juntos e fazer boa arte.

Rock N Louder – O novo álbum Promise Everything é mais inclinado ao rock alternativo, mas há elementos do grunge e do punk rock também. Como é para você compor músicas com tantas referências musicais?

Alex Henery – Eu acho que é natural que a música que cresci ouvindo tivesse influência em minha música e no jeito que as componho. Mas todos nós nos esforçamos para dar aquele toque pessoal. Gosto de pensar que temos o nosso próprio som e que todos podem reconhecer enquanto percebem nossas influências. Todos nós ouvimos músicas de diferentes estilos e sempre haverá elementos destes estilos em nosso som. Por isso que é tão difícil rotular o nosso som e o gênero ao qual pertencemos. No final das contas somos uma banda de rock.

Rock N Louder – Quanto mais você cresceu como compositor, o que você acha que mais te preocupou?

Alex Henery – Eu somente quero escrever músicas que possuam longevidade. Músicas a quais eu posso voltar e ouvir repetidamente. Eu também gosto de fazer estruturas musicais interessantes e não apenas escrever um refrão forte, possuindo versos e conexões interessantes. Sempre desejei ser melhor em escrever riffs, mas faço mais acordes – estou tentando surgir com riffs ótimos, mas é tão difícil por que eles podem soar tão brega (risos).

Rock N Louder – Vocês já voltaram há uns três anos se não me engano. Mas apesar de vocês ficarem tão pouco tempo ausentes da cena, como vocês lidaram com o momento e o hype que vocês receberam? Especialmente quando vocês decidiram voltar?

Alex Henery – Eu acho que conseguimos lidar com isto muito bem e eu acho difícil de ver a banda como algo grande, provavelmente por que eu estou na banda e é muito difícil eu me remover dela para ver o ponto de vista de quem está do lado de fora. Mas nós nos sentimos muito abençoados como tudo está sendo até agora. Eu estou muito feliz que as pessoas curtem a nossa música o suficiente para comprar o álbum e nos ver tocar – é uma sensação maravilhosa conhecer pessoas que gostam de nossa música.

Rock N Louder – Eu lembro que Colourmeinkindness tem um distinto som típico do rock alternativo dos anos 90. Ao ouvir o álbum novo percebe-se claramente um amadurecimento, especialmente na música ‘Aquasun’, onde vocês conseguiram manter o som que é assinatura do Basement e mesmo assim houve este crescimento musical. Como isto aconteceu?

Alex Henery – Eu acho que você está certo. Quando começamos a nossa música tinha influencias claras e fortes. Agora eu acho que conseguimos fazer nosso próprio som e moldá-lo melhor. Eu amo os álbuns antigos, mas com o tempo eu acho que nos tornamos melhores compositores – pelo menos eu espero que sim!

Rock N Louder – Eu amei a versão que vocês fizeram para ‘My Favourite Game’ do Cardigans. Como surgiu a ideia para fazer um cover para esta música?

Alex Henery – Discutimos muito sobre fazer um cover de uma banda britânica. Estávamos sugerindo ideias e bandas e Ronan (N.R.: Ronan Crix (guitarra)) mencionou como seria divertido fazer um cover para o The Cardigans e concordamos. Apenas gravamos por diversão e quando tivemos um tempo a mais ficamos nela por muito tempo. Quando a ideia para relançar Promise Everything surgiu achamos que seria uma ótima faixa bônus. Eu estou empolgado que pessoas amaram, já que é uma música tão incrível de se tocar – tão cheia de feeling!

Rock N Louder – Eles são uma influência em sua música?

Alex Henery – Talvez não diretamente, mas ouvi muito a música deles na minha adolescência.

Rock N Louder – Vocês tocam esta música ao vivo também?

Alex Henery – Não a tocamos ao vivo ainda, mas o faremos em algum momento.

Rock N Louder – Falando de tocar ao vivo, vocês estão preparando as malas para vir ao Brasil. O que esperam destes shows? Vocês tem um setlist especial para esta turnê?

Alex Henery – Eu estou tão empolgado que tocaremos no Brasil. Eu sinto que esta turnê já estava para acontecer algum tempo então não sei o que esperar. Eu falei com alguns amigos do Title Fight e eles não tinham outra coisa a dizer o quão sensacional é tocar aí – então acho que tudo sairá como planejado. Eu sei que tem muitas turnês que não passam pelo seu país e me sinto muito privilegiado em poder passar pelo Brasil e tocar em um país tão bonito.

Rock N Louder – Muito obrigado pelo seu tempo! Deixe uma mensagem aos leitores e para os faz.

Alex Henery – E ae galera! Não vejo a hora de vir ao Brasil e poder encontrar vocês em nossos shows! Estamos empolgados em encontrar vocês!

Basemnt-tour

BASEMENT EM PORTO ALEGRE
Porto Alegre – 21 de Julho – Sexta
Local: El Toro Pub – Avenida Cristóvão Colombo, 545, Shopping Total, Porto Alegre/RS
Horário: Portas 21h
Banda de Abertura: Big Stone Crew
Preços: De R$75 à R$130
Vendas Online: http://bit.ly/BasementPOA
Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/250434662095325

BASEMENT EM SÃO PAULO
São Paulo – 22 de Julho – Sábado
Local: Clash Club – Rua Barra Funda, 969, São Paulo/SP
Horário: Portas 18h
Bandas de Abertura: Kill Moves e Brvnks
Preços: De R$80 à R$160
Vendas Online: https://ticketbrasil.com.br/show/5013-basement-saopaulo-sp/
Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/1258972594221913/

BASEMENT EM CURITIBA
Curitiba – 23 de Julho – Domingo
Local: John Bull – Rua Mateus Leme, 2204, Curitiba/PR
Horário: Portas 18h
Bandas de Abertura: Garden of the Eatingtapes e Othersame
Preços: De R$70 à R$80
Vendas Online: https://pixelticket.com.br/eventos/1390/basement-em-curitiba
Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/433594610326425/

%d blogueiros gostam disto: